segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Os pitaqueiros

Olá, queridos !

       Todo mundo que embarcou na aventura de ter filhos sabe que vai enfrentar uma raça especial, que não te deixará em paz e te acompanhará desde o momento que você anuncia a gravidez até o seu filho completar 18 anos: os pitaqueiros! Da amiga bem intencionada, mas que NAO teve filho, ao vovozinho que passa na rua, todos têm um conselho para te dar.

       Aqui na Espanha o povo é bem mais discreto. Ninguém tocava na minha barriga, por exemplo e jamais um completo desconhecido veio me dizer como deveria me comportar. Depois da chegada do pimpolho o cenário mudou e como os pitaqueiros estão se revelando resolvi compilar algumas pérolas que escutei neste lado de cá da Península.

         Sobre dormir

       Um aluno meu teve seu terceiro filho dois meses antes da chegada do nosso pimpolho. Super legal, a gente sempre trocava umas ideias. Quando voltei a dar aula ficamos falando sobre as melhores maneiras de fazer dormir um recém-nascido. Aí ele manda:

        - Nós temos uma técnica ótima: coloco música clássica, Bach de preferência, fecho a porta e saio. Depois de meia hora ele para de chorar e dorme.

          Resposta que eu queria ter dado:

       - Eu também faria o mesmo se quisesse que meu filho odiasse música. Mas como sou pianista e o velho Sebastian é um dos meus compositores favoritos, jamais farei isso.

        Resposta se eu fosse uma musicista pedante:

          - Acho Mozart e Chopin melhor, sobretudo os movimentos lentos das sonatas de Mozart, interpretados pela Maria João Pires e alguns noturnos de Chopin, tocados por Nelson Freire, claro. Também escolhi "Suave Acalanto", de Villa-Lobos, pois toquei esta música em uma audição. A gravação da Cristina Ortiz está no tempo certo para ninar um bebê. Com certeza, ela estava pensando nas filhas... Aliás, se quiser, eu te mando a playlist que fiz pra ele.

        Resposta que eu dei:

        - Ah! A gente coloca um pouco de música também, mas fica com ele até...

        - Vocês ficam com ele?

       - Bem, às vezes eu, às vezes meu marido até ele dormir.

       - Toma cuidado. Se não ele se acostuma a dormir no seu colo.

        Resposta que gostaria de ter dado:

        - Tomara que se acostume ao meu colo. Porque no dia que ele dormir no colo de outra mulher eu espero que ele tenha mais de 18 anos.

        Resposta que eu dei:

        - Ah é. Já me falaram sobre isso. Mas e o exercício? Você fez?

           Sobre o choro

           Amiga querida organiza um jantar em casa e lá vamos nós. O pimpolho está com três meses, lindo, vestido de hominho e faz sucesso. Tudo vai bem até ele começar a dar sinais de fome. Beleza. Já tinha dado o peito e passamos logo para a mamadeira, mas ele continua a chorar. Fralda. Vamos para o quarto e a trocamos. Nada. Sono? Talvez. Meu marido tem a ideia salvadora de dar um pouco do peito. O bichinho se acalma e nos incorporamos ao grupo aliviados, nos desculpando e fazendo piadas sobre o choro. Mas lá vem o pitaqueiro-mor, o que nunca teve filhos e manda sua sentença:

            - Ah! Mas chorar é bom: abre os pulmões.

            Resposta que queria ter dado:
         
           - Ué, mas como é que como é que meu filho estava respirando até agora se os pulmões dele estavam fechados? Incrível!

              Resposta que eu dei:

              - Ah é ? Que horror!

             Você conhece o tipo. O pitaqueiro não desiste fácil:

            - É. Além disso fazem as crianças mais fortes.

            Como não quero que meu filho seja um Mike Tyson dou um suspiro. E vem o argumento de ouro:

           - Minha avó sempre dizia isso...

          Pronto! Meteu a abuela no meio. Quem pode discutir com ela? Mas convenhamos que isso era no perído pré-raio X e pré-escanner. Vovós são sábias, mas eram ignorantes. Fazer o quê? Como estávamos entre amigos tive que mandar entre risadinhas nervosas:

            - Ok. Quando você tiver filhos você deixa o seu chorar. Mas com o meu quero que ele pare o mais rápido possível.

           
Postar um comentário