sexta-feira, 30 de maio de 2014

Música para bebês

Olá, queridos!

   
Todo mundo que engravidou ou tem filho sabe que a quantidade de informações que recebemos durante o período é absurda. Para o bem o para mal sempre há um volume de pérolas consideráveis principalmente quanto à alimentação. Um blog materno chamado "Vila Mamífera" levantou uma questão muito interessante ao declarar que nos preocupamos muito com o que nossos filhos comem, mas não com o que veem e escutam. Não posso opinar com propriedade sobre quando é melhor as crianças terem contato com galináceos da cor celeste, mas meus anos como pianista serviram para algo na hora de selecionar músicas para o herdeiro.

    1O que escutar ?

      Não custa seguir o senso comum. Os sons graves tranquilizam mais que os agudos e todos sabem disso por experiência própria. Afinal, quem gosta de uma sirene ou de um alarme? Da mesma forma, percussão em excesso pode gerar nervosismo, pois dificilmente um bebê ficará tranquilo com uma bateria de escola de samba e ou com o batidão da vez.

2 - Cante 

Bebês querem ouvir a voz da mãe e do pai. Meu marido que é do departamento-de-colocar- para-dormir-à-noite, às vezes tem que me chamar: "canta você um pouquinho que ele dorme". E se eu tenho a voz de taquara rachada? Não acredito que nenhum ser humano não seja capaz de fazer um lá-lá ou hum-hum tão desafinado assim! E só em falar baixinho o baby já fica satisfeito.

      Mas e essa tal de música clássica ?

    Para dar uma de entendido, muita gente diz que os bebês devem escutar música clássica para dormir.  Gente, vamos refletir um pouquinho!

3- Música clássica dá certo ?

       Depende. O que é a música clássica ou erudita? É um mundo! Tem gente que fala: " sempre coloco Bach para meu filho" . É mesmo ? Tem composição do velho Sebastian que serve para trilha sonora de filme de terror como a Tocata e Fuga em Ré Menor.

         Ou este ser humano é um pedante ou ele nunca colocou realmente esta música para embalar o sono do rebento!

          Voltando ao mestre há temas lindos de Bach que tranquilizam os pimpolhos como a Ária da Quarta Corda.

Essa música foi escrita originalmente para orquestra, mas aposto que devem existir versões para todos os instrumentos. Escolha a que transmitir mais tranquilidade.

           Outro imbatível é Chopin. Porém, o polonês teve uma vida atribulada e suas criações refletem isso, portanto nada de dizer aos quatro cantos que você pôs a Balada Nº 1 (aquela do filme "O Pianista") que começa suave, mas termina em uma angústia verborrágica de notas. Lindo para uma sala de concerto, mas tenho minhas dúvidas quanto a eficácia para um bebê.

     Não há pianista de primeira linha que não tenha gravado os Noturnos. Adoro as versões de Nelson Freire, mas quem entendeu mesmo de Chopin foi Arthur Rubistein.

            No mercado existem muitos CDs que extraem as músicas mais calmas de cada compositor e vendem com o título de "Mozart para crianças" ou nomes semelhantes. Se você esqueceu ou não pode comprá-los a dica é escolher os movimentos mais lentos das sonatas. Geralmente, o segundo movimento que tem nomes como "Adagio" ou "Andante". Porém, não se engane: música lenta não é sinônimo de música triste. Nas dez mais aqui de casa, o pimpolho dorme sempre com esta Sonata do meu amado Wolfgang tocada por Daniel Barenboim. Atenção: o movimento lento começa no minuto 05:46. Antes disso é pauleira!

            Dos nacionais, uma que não tem erro é o segundo movimento da Suíte Brasileira, de Lorenzo Fernandes,  "Suave Acalanto", intepretado pela baiana Cristina Ortiz. Não tem no YouTube...Sorry...

4 - Mas eu tenho alergia a esse tipo de música!

       OK. Que tal experimentar Bossa Nova ? Ou mesmo samba ? Fiz uma listinha com a minha gloriosa Teresa Cristina cantando Paulinho da Viola, Elis Regina cantando Carinhoso e Corcovado, Marisa Monte interpretando Alta Noite, etc. De novo o senso comum: sambas canções ou temas com cadência apropriada para o pequeno ser humano se tranquilizar.

       Já não entendo muito do riscado, mas o que vale para o samba pode valer para o rock. Portanto faça a sua escolha entre aquelas baladas de sempre. Ouça e cante com o seu bebê.

5- E depois ?

      Sou do tipo de gente que escuta música o dia inteiro, mas tem dias que não quero escutar nada. Afinal, música é um estado de espírito e temos sorte do nosso país ter uma diversidade ímpar de ritmos. Por isso. agora que o pimpolho está mais crescido, ele me acompanha ouvindo Luiz Gonzaga, Madredeus, Zeca Pagodinho, Tom Jobim, Waldemar Henrique, Piazzolla e quem mais fez/interpreta música de qualidade. Claro que ele escuta Arca de Noé e Adriana Partimpim, pois penso seguir na música o mesmo o princípio que sigo na alimentação. Vou apresentar a maior quantidade e qualidade possível de sabores, mas a decisão final de escolher o que mais lhe apetece, será dele.

      
 

     
     
Postar um comentário