terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Catedral de São João Batista de Badajoz

Olá, queridos!

   
É incrível a quantidade de catedrais que existem na Espanha! Cada uma no seu estilo, mas que serviam para o mesmo propósito: ser a igreja principal da região e mostrar aos fiéis que o bispo era poderoso. Cada construção reflete a época e porque não dizer, o caráter da sua diocese. Assim, a catedral de Badajoz, cidade fronteriça a Portugal e muito perto dos antigos reinos muçulmanos da Andaluzia, parece mais uma fortaleza do que um templo religioso.

   


A construção começou dois anos depois da conquista de Badajoz, em 1230, mas só foi concluída no século 18. Vários elementos foram acrescentados para alinhá-la ao gosto e às normas canônicas das épocas posteriores. Temos os típicos arcos góticos, porém o retábulo do altar principal é de 1717. Por isso encontramos aquela profusão de detalhes barrocos, colunas salomônicas, flores, frutas esculpidas e anjos gordinhos.

Pausa: o único elemento destoante vem do século 21. Inexplicávei TVs de plasma que enfeiam as naves de maneira grosseira.


A catedral também foi cenário do casamento da princesa portuguesa Bárbara de Bragança com o futuro Fernando VI. Ela impulsionou a criação do convento das Salesas e a igreja de mesmo nome em Madri. Como não deixou descendência seu corpo repousa nesta igreja e não em El Escorial como é costume na monarquia espanhola.






No altar lateral encontramos a imagem de Nossa Senhora A Antiga, uma cópia feita em 1633 da pintura original de 1497 trazida por um religioso de Sevilha. Segundo a explicação que se encontra na igreja, era costume das mães apresentarem os filhinhos recém-nascidos a Ela. Como serva obediente aproveitei a ocasião e mostrei meu pimpolho e mative a tradição.
   
Postar um comentário